sábado, 16 de junho de 2012

Novidades sobre Crânios Alongados.

O pesquisador Brien Foster, que tem estudado os mistérios das antigas civilizações de Peru e Bolívia, fechou uma parceria importante com os pesquisadores do Projeto Star Child (ler Crânio Starchild - Mais uma Prova Genética da Influência Extraterrestre) . A parceria já rendeu frutos, pois Lloyde Pye, Diretor do Projeto Star Child, tem dado suporte técnico e financeiro as pesquisas.  

Três Crânios alongados, que estavam expostos no museu de Paracas - Peru, foram enviados para o mesmo laboratório de genética que está analisando o crânio Star Child, e testes de carbono14, feitos nos crânios alongados, foram bastante conclusivos. Através desta análise a equipe pôde descobrir qual a idade deste povo tão misterioso que habitou a região de Nazca, no Peru.



Os resultados dos testes realizados nos crânios, lançados em 14 junho de 2012, demonstraram que eles viveram a 2300 anos aproximadamente, e tinham trinta anos de idade quando morreram. Isto confirma que os crânios são antigos, e que essas pessoas existiam como um grupo geneticamente distinto. O povo de Nazca, que segundo arqueólogos e historiadores oficiais são os construtores das linhas de Nazca, mudou-se para a área de Paracas somente em aproximadamente 100 dC ou a 1900 anos. Sendo assim, podemos especular que o povo Nasca é descendente destes misteriosos seres de crânios alongados.

Crânio Pesquisado.

A foto acima é de um crânio clássico de Paracas. O volume do crânio é pelo menos 25% maior do que o de um ser humano contemporâneo da região. Os ossos são mais espessos e densos, tem menos placas ósseas que o normal, e as órbitas são imensas.

Comparação com um crânio normal.

Outra característica intrigante de muitos crânios Paracas é que tinham cabelos ruivos. A cor do cabelo comum na grande maioria dos povos nativos americanos é preto. Isto sugere que parte do seu DNA pode ter vindo de outro continente, de pessoas que viveram em um passado muito remoto. Esse tom avermelhado no cabelo ainda pode ser encontrados na ilha de Rapanui (Ilha de Páscoa), no Tahiti, Aotearoa (Nova Zelândia) e no Havaí.

Cor de cabelo avermelhado.
A investigação da idade e o DNA dos crânios alongados, não estão restritas a Paracas. Pessoas semelhantes e possivelmente relacionadas parecem ter vivido em Tiwanaku na Bolívia, Cusco e Ayacucho, no Peru, bem como outros locais. Parece bastante provável que essas pessoas sejam descendentes dos construtores megalíticos destas áreas.

A provável aparência do povo Nazca.

Estaremos acompanhando as pesquisas destes misteriosos crânios, e ansiosos pelos resultados do exame de DNA.

Site da pesquisa: http://hiddenincatours.com/

André de Pierre
30 anos, escritor e pesquisador



9 comentários:

  1. Muchas Gracias and many thanks for posting this!

    Brien Foerster

    ResponderExcluir
  2. Imagine a inteligencia desse povo, 3 cérebros ao invés de 2.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, ainda fazem especulações sobre esses crânio? Qualquer um que estudar antropologia vai saber que eles eram criados com o uso de tábuas, e ou moldes, amarrados na cabeça das crianças. a intenção de moldar os crânios durante o crescimento era de distinção entre as classes dominantes e os trabalhadores, escravos e camponeses.

    Existiam até tamanhos e formas (uns mais compridos, outros mais arredondados, "divisões" resultando numa espécie de "escada" moldada no crânio e por aí vai...

    Em outras culturas se usavam tatuagens, escarificações,"piercings" em algumas até dentes eram arrancados, em outras se usavam tintas, ou vestes, ou adornos.

    As modificações cranianas despertam nosso imaginários, pois são extremas e quase sempre a justificativa passada pela mitologia da época era a de que eram necessárias, para "se parecer com os deuses", aí na nossa época a nossa mitologia moderna não admite deuses,mas admite seres de outro planeta e cria uma nova justificativa "mística", para o ato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até que enfim sensatez :D rsrsrsrsrs. Os germÇanicos que viviam entre os hunos também o faziam, para achatar as feições e ficar mais orientalizados. Isso é mera Vaidade humana.

      Excluir
    2. Amigo, por mais que vc tenha razão e por mais especulativo que sejam as conclusões, vc acha que os palentólogos já não consideraram essa hipótese (de serem alongamentos forçados)? Seu tom pseudo-cético é típico de quem concluiu o tema com certeza cega e quer "catequizar" o rebanho com vosso ceticismo. Faça vc uma pesquisa do que foi encontrado e veja que os crânios tem mais diferenças que apenas o alongamento... que se faça um teste de DNA simples para verificar se são crânios humanos ou não. Pesquise e não conclua sem a pesquisa. Isso é ciência.

      Excluir
  4. No Egito os nobres alongavam seus crânios os amarrando de forma que eles obtivessem esse formato comprido, que segundo eles, se assemelhava à aparência dos Deuses. Nada impede que esses povos tenham feito o mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Sim,o alongamento era utilizado por muitos povos.Mas o que vocês não entenderam na parte que diz,que são outra raça de humanos,e que foram feitos pesquisas c/ cientistas sérios!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Oficialmente' os exames de DNA existem a 30 anos.

    O exame de DNA foi criado em 1984 pelo geneticista ingles Alec Jonh Jeffreys e foi implantado no Brasil em 1988.

    http://biotecnologia3bcem01.blogspot.com.br/2010/09/exame-de-dna.html

    Quantas décadas seriam necessárias para que essas análises fossem efetuadas?

    Já se passaram 3 décadas e não temos nenhuma notícia dessa intenção. Pelo menos que eu saiba.

    Não havendo exames não há como bater o martelo. Muito conveniente.

    Quando alguém consegue de alguma forma fazer algum tipo de análise é imediatamente taxado de charlatão, pois não recebeu o 'selo de garantia da ciência oficial'.

    Por outro lado essa mesma 'entidade' que se auto-denomina 'dona' da ciência oficial e portanto em última instância tem a palavra final sobre o que pode ser considerado verdade ou mito, se omite em demonstrar com as suas evidências 'cientificamente válidas e definitivas', provas conclusivas que eliminem as 'especulações' dos 'não crentes' na sua idoneidade.

    Eu vou dar a minha opinião de o porque esses exames de DNA não foram feitos e talvez nunca venham a ser realizados.

    Porque nós, os cabeças redondas, somos seus escravos financeiros. 99% da população nem sabe que é escrava. E na agenda deles isso vai continuar assim. Eu escrevi um artigo sobre isso, o link segue abaixo.

    'Toda Nobreza Europeia Atual Descende da 'Casa de d'Este' - Crânios Alongados(Realeza)'

    http://forum.antinovaordemmundial.com/Topico-toda-nobreza-europeia-atual-descende-da-casa-de-d-este-cr%C3%A2nios-alongados-realeza

    òtimo blog.

    Abraço.

    Naste.

    ResponderExcluir

Os editores do blog Ab Origine têm profundo amor e respeito pelo livre pensamento e liberdade de expressão, porém respeitamos ainda mais o leitor que busca um ambiente de respeito às opiniões.

Por isso optamos por moderar os comentários, que serão excluídos nas seguintes condições:

• Piadinhas e infantilidades
• Palavrões e ofensas
• Desinformação

Todos os outros comentários serão publicados, independente da opinião do leitor.