quarta-feira, 27 de julho de 2011

Neflins : Anjos Caídos ou Rebelião Alienígena?

A história dos Anjos Caídos é um desses eventos que aparece em quase todas as civilizações da antiguidade. Faz parte da mitologia hindu, judaica, sumeriana, inca... Sempre me chamou atenção tudo que envolve esse evento bizarro onde criaturas celestiais descem a terra, como o nome diz, e tomam pra si as humanas que eram belas aos olhos deles naquela época...
 
 Antes de desenvolvermos qualquer teoria a respeito de quem eram os anjos caídos e o porquê desta atitude ser tão condenável aos olhos dos deuses ou de Deus, é necessário fazer rápida passagem por todas as histórias que descrevem esse evento trágico e decisivo para humanidade.

Lembrando que mito, ao contrário do que muitos pensam, não são estórias inventadas aleatoriamente e de pouco valor na elucidação da nossa gênese ou teoria de como tudo começou. Muito pelo contrário o mito é a forma ou formato da expressão de um povo sobre acontecimentos reais, sendo de menor importância a veracidade de cada detalhe contado no mito. O interessante é deter-se na forma, nos arquétipos que nada mais são que a visão ou o olhar de um povo sobre eventos reais de sua história.

Partindo do princípio de que o mito é um registro válido e importante é interessante apurar o olhar e tentar analisar quais os pontos em comum nesses mitos de diferentes povos que relatam o mesmo acontecimento (cada um a sua maneira), neste caso o evento dos anjos caídos, ou os neflins que vem ao planeta Terra e quebram as regras tendo relações com as filhas dos homens, gerando inclusive uma raça híbrida, seres de grande estatura descritos na bíblia como gigantes sem moral e perversos. Vindo mais tarde a ser o motivo da ira de YAVEH que varreu a humanidade da Terra mandando o dilúvio também descrito em todos esses povos.

No Livro (apócrifo) de Enoque é descrito com detalhes todo o desenrolar da desgraça que se abateu a esse grupo de seres, que por hora chamaremos de celestiais, liderados por Samyaza, um anjo de grande poder que liderou a rebelião e deste grupo de anjos e não LUCIFER.

A palavra Lúcifer, do latim Lux + fero = que traz luz é citado na Vulgata (versículo 12 cap. 14 Isaias) Mas na tradução das bíblias grega e hebraica esse nome não aparece , veja na tradução correta: “Como caíste do céu, estrela filha da manhã. Foste atirada na Terra como vendedora das nações” e São Gerônimo a reescreve desta forma: "quomodo cecidisti de caelo LUCIFER (astro brilhante, ou luz matutina) qui mane oriebaris corruisti in terram qui vulnerabas gentes".

Fica evidente que o termo é latino e lançado por São Gerônimo quando da tradução da Vulgata.


Essa correção é necessária para que possamos abandonar um pouco a interpretação religiosa que se utilizou deste evento para criar ou dar explicação do bem e do mal, colocando Lúcifer como o anjo caído (moralmente) que desafiando a Deus tornou-se Satanás ou Diabo ou qualquer dos diversos nomes dados a este ser que sendo quase perfeito, decaiu, involuiu, degradando-se a ponto de tornar-se o próprio mal e causador de toda iniquidade. Da mesma os outros anjos decaídos tornaram-se os demônios, espíritos sem moral e atormentadores do homem. Porém isto nada mais é que uma interpretação conveniente para a igreja e vigente até hoje nos meios religiosos. 

O que nos interessa, como já foi dito é juntar os pontos, linkar as informações contidas nos vários relatos de outros povos e assim encontrar elementos parecidos, quem sabe assim podemos chegar a vislumbrar o que realmente pode estar por trás do episódio dos anjos caídos.

O Dilúvio é relatado, segundo Antropólogos, em centenas de povos e culturas diferentes do mundo é descrito em fontes americanas, asiáticas, sumérias, assírias, egípcias e persas,  entre outras, de forma  semelhante ao episódio bíblico.

O Deus Inca Viracocha teria mandado o dilúvio para acabar com uma raça de gigantes (neflins) e após este evento teria designado a repovoação da Terra a dois irmãos.

No Dilúvio Maia, deuses após criarem seres para povoar a Terra, percebem que estes seres eram arrogantes, não obedientes e insatisfeitos mandaram o dilúvio para acabar com essa raça de seres (não poupando nenhum deles).

No Dilúvio Sumeriano, o grande Gilgamesh semideus em suas andanças em busca da imortalidade encontra a Utnapishtim e sua esposa (únicos imortais) os quais contam a ele a história do dilúvio (do qual foram poupados pelo Deus EA), que havia sido mandado pelos deuses para exterminar com a humanidade desobediente.

No Dilúvio Grego, Poseidon a mando de deus resolve inundar a terra para por fim a vida da humanidade que havia aceitado o fogo de prometeu no Monte Olimpo.

No dilúvio Hindu, nas escrituras védicas da índia, Svayambuva Manu foi avisado sobre o dilúvio por uma encarnação de Vishnu.

Os elementos em comum sempre são que algum Deus insatisfeito com a raça de viventes na Terra, resolve por fim a esses seres mandando um dilúvio, em quase todos os relatos, algum ser é poupado desse castigo (testemunha que conta os fatos).

Há um consenso nessas histórias que seres que habitavam o planeta não obedeciam aos deuses e foi necessário um evento a nível mundial que os exterminasse, destruindo também quase toda a humanidade.

Interessante verificar que os tais gigantes, ou seres desobedientes não eram humanos comuns, já que para destruí-los era necessário destruir junto à humanidade inteira, portanto não se tratavam de rebeldes comuns.

Bem e afinal quem eram esses seres, anjos caídos, neflins ou gigantes?  Recorrendo as escrituras bíblicas encontramos uma passagem interessante, com interpretação dúbia por parte dos teólogos principalmente:
"Também vimos ali gigantes, filhos de Enoque, descendentes dos gigantes; e éramos aos nossos olhos como gafanhotos, e assim também éramos aos seus olhos. Números 13:33"
Eram como gafanhotos é sempre interpretado como se referindo a quantidade, porém o mais provável é que fosse quanto à aparência desse seres (diferentes na sua aparência). O termo Neflim é traduzido como gigante, porém analisando esta passagem podemos ver que o termo Neflim não é adjetivo para designar o tamanho desses seres:

"E infamaram a terra que tinham espiado, dizendo aos filhos de Israel: A terra, pela qual passamos a espiá-la, é terra que consome os seus moradores; e todo o povo que vimos nela são homens de grande estatura. Números 13:32"

Comparando essas duas passagens nota-se que Neflins e homens de grande estatura são dois tipos de seres, se não fosse assim porque a diferença na designação desses seres, nessas duas passagens.

Além disso, temos esta outra passagem, de tradução que omite a diferenciação entre os vários seres que habitavam aqui naquela época. Vejam a diferença:

"Também essa foi considerada terra de gigantes; antes nela habitavam gigantes, e os amonitas os chamavam zamzumins; Um povo grande, e numeroso, e alto, como os gigantes; e o SENHOR os destruiu de diante dos amonitas, e estes os lançaram fora, e habitaram no seu lugar; Deuteronômio 2:21"

A tradução como originalmente escrita:

"Também essa foi considerada terra dos Rephaim; os Rephaim habitavam ali anteriormente, e os amonitas os chamavam zamzumins; Um povo grande, e numeroso, e alto, como os Anaquins e o SENHOR os destruiu de diante dos amonitas, e estes os lançaram fora, e habitaram no seu lugar; Deuteronômio 2:21"

Ao traduzir tudo como gigantes, perde-se uma informação crucial: de que havia mais de uma raça de seres, diferente dos humanos, habitando nosso planeta.

Zecharia Sitchin, pesquisador e especialista de escrita cuneiforme dedicou sua vida a tradução das tabuinhas sumerianas, povo que descreve a saga de seres alienígenas oriundos de um planeta Nibiru, que aqui chegaram em busca de um mineral (ouro) para salvar a degradação da atmosfera de seu planeta. Estes seres, os Anunnakis, exímios geneticistas precisaram criar uma raça de seres que os servissem no trabalho de mineração e para isso misturaram seu próprio DNA com o do símio que habitava o planeta para criar o homem. Toda a saga dos Anunnakis é descrita nas tabuinhas sumérias com precisão de detalhes, o povo sumeriano considerava os Anunnakis os deuses criadores, os que do seu vieram. Na bíblia encontramos a correspondência nos Elohim palavra que designa o criador, mas que está no plural, portanto criadores.
Os neflins seriam segundo as traduções de Sitchin, fruto do cruzamento de alguns Anunnakis com as humanas, onde retornamos ao episódio dos anjos caídos.
Para mim fica muito claro que anjos caídos nada mais são que seres advindos do espaço, divinizados e contados em forma de mitos por todos os povos e culturas. Nada mais natural que interpretar desta forma. Inconcebível para o homem simples e tacanho descrever seres de alta tecnologia que chegaram aqui numa época em que nem a roda existia, o que dizer espaçonaves e toda tecnologia que cercava estes seres que chegaram como criadores e colonizadores aqui no planeta.

Porém ouso dizer que não foram só os Anunnakis que habitaram a Terra nessa época primordial, outras raças parecem ter passado por aqui. Os Anunnakis criaram o homem a sua semelhança, portanto aspecto humanóide. Porém há inúmeros registros de outro tipo de ser, também vastamente descrito em toda a mitologia, que são seres de aspecto mais bizarro, geralmente reptóide, descrito em várias culturas como o povo Serpente, ou dragão. Este povo pode ter habitado o planeta até anterior aos Anunnakis, ter sido tão ou mais avançado tecnologicamente e que por algum motivo não deixou descendência, como foi o caso dos Anunnakis.

Sobre esse assunto há varias teorias, a grande maioria especulativa e não conclusiva, sendo a mais difundida de todas a do canalizador David Icke, que se autodenomina contatado ou escolhido, e que através de revelações foi informado que uma raça reptiliana vive ainda aqui na Terra em mundos subterrâneos, ligadas a algumas famílias detentoras do poder atual. Alex Collier, outro famoso canalizador, também se denomina contatado e apregoa que essa raça de reptilianos é maligna, carnívora e é responsável pelo desaparecimento de crianças e pessoas por todo o mundo.

Tirando o excesso de especulação e fantasia que cerca o assunto, não podemos ignorar que são centenas de registros em centenas de culturas que falam desse povo de aparência híbrida meio humano, meio réptil.

Voltando ao assunto deste texto, anjos caídos, podemos conjecturar que talvez a história envolvendo seres rebeldes que tomaram humanas para si e foram amaldiçoados pelos deuses podem ser na verdade, duas raças distintas de seres que habitaram este planeta. Uma disputa interplanetária pelo comando do planeta. Não se trata de uma teoria, afinal não temos fundamentação para isto. Mas há indícios de que este evento dos anjos caídos seja uma das pistas de que a história da humanidade e do nosso planeta possa ter começado muito longe daqui, envolvendo disputa de poder, recursos naturais, engenharia genética e muito mais. Cabe a nós sempre abrirmos nossa mente e expandirmos nossa consciência, para conectar as várias informações disponíveis que passam despercebidas e sofrem todo tipo de distorção no decorrer da história por tantos grupos e seus interesses escusos.

Diana Rosa
Casada, mãe, montanhista e aventureira

35 comentários:

  1. mt show, faz pensar realmente

    ResponderExcluir
  2. muito interessante seu texto voce escreve bem e tem um modo interessante de relacionar as culturas

    ResponderExcluir
  3. Eu me interesso muito por esses assuntos, e fiquei muito mais curioso ao ler o texto. Uma das coisas que eu também sempre me perguntei quando era criança, era como os anjos, seres que possuíam apenas alma e não carne, conseguiram fazer sexo com as mulheres e ainda criar uma nova raça. Eu achei seu post maravilhoso, me fez lembrar de quando era muleque e pertubava o padre da minha igreja com perguntas que nem adultos faziam kkkk. Desejo muito sucesso ao blog, vocês merecem. Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Hoje eu passei por varios blogs e ainda não tinha lido algo realmente interessante , más seu post me prendeu e instigou a ler até o fim ........

    é um assunto muito interessante e complexo ,tambem cheio de mistérios e teorias .

    Parabens pela matéria

    ResponderExcluir
  5. muito interessante
    parabens pelo post

    ResponderExcluir
  6. Muito bom o seu texto, que pena que tem muitas pessaos que o vem com mal olhos eo nosso passado tem muitos mistérios e varias religiões e até governos o tem auterados.

    ResponderExcluir
  7. Obrigada a todos que comentaram...legal ter o feed back e saber que a cada dia mais pessoas despertam desta Matrix, um abraço !

    ResponderExcluir
  8. texto impressionante, escreve com uma naturalidade peculiar, parabéns (:

    ResponderExcluir
  9. Realmente já assisti alguns vídeos do Zacharia Sitchin e pude perceber que há algo de muito estranho em nossa história e que ainda não descobrimos. Resta ao homem deixar de lado idéias arbitrárias e medíocres e começar a pesquisar mais sobre tais assuntos que podem mostrar quem realmente somos.

    ResponderExcluir
  10. seu post foi muito bom vc sabe ligar as coisas

    ResponderExcluir
  11. ESSA RAÇA DE REPTOIDE NAO SEI SE VCS JA VIRAM, UM VIDEO DE UM JORNALISTA Q PARECE SER UM DELES E UM ARQUIVO CONFIDENCIAL EU SO N TENHO LINK PRA POSTAR QDO O CARA PISCA NUM MILESIMO DE SEGUNDO DA PRA VER O OLHO DELE COMO DE UM REPTIL.

    ResponderExcluir
  12. gosto muito desses assuntos porque,não acredito em nenhuma religião,e a leitura da Biblia sempre me confundiu,PARABÉNS.

    ResponderExcluir
  13. Deus existe e Ele é real, pensem nisso!!
    Essas histórias são apenas teorias, mas Deus é real e está presente, se não acreditam façam prova dEle, façam votos, cumpram esses votos, que Ele dara a vcs o que vcs desejam.

    ResponderExcluir
  14. Cara Diana,

    Não estaria nada mal que você coloque as suas referências; sou peruano e FALANDO IRONICAMENTE fiquei incrivelmente surpreso ao saber que o Deus Inca Viracocha mandou um diluvio para limpar a terra e ainda que mando 2 pessoas para repovoar nosso planeta. Sendo que nunca escutei essa teoría na minha vida.

    ResponderExcluir
  15. Vejo alguns defeitos no seu post , primeiro seres celestiais eram realmente anjos do Senhor . Embora não existem na Bíblia alguma palavra dizendo que extraterrestes não existem . Os Nefilins foram o grande motivo do diluvio , e dos massacres dos Israelitas aos seus visinhos , mais eles não eram hidricos , e o grande motivo dos castigos de Deus , foi que o homem criado por Deus começou a se misturar com esses seres , e foram nascendo seres imperfeitos e maus . As misturas foram o motivo que esses seres que não deviam existir fossem exterminados até as crianças .

    ResponderExcluir
  16. Galera...

    Anjos caídos, Nibiru, Neflins, deus judaico-cristão não existem. Simples assim.

    ResponderExcluir
  17. texto muito bom, parabens

    ResponderExcluir
  18. Muito boa matéria!
    Posso republicar?
    Abs.

    ResponderExcluir
  19. Olá Alexander,

    Pode publicar meu amigo!

    abraços,

    Edição

    ResponderExcluir
  20. Só uma correção: Lucifer não é latim, é grego, e significa "aquele que porta a luz", ou seja, "o portador da luz", que normalmente é Venus por que ela traz a luz na aurora antes do amanhacer, ou também pode ser uma pessoa que ilumina com seu conhecimento por ser mais esclarecido. Assim sendo não tem nada a ver com ferro...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara anônimo. Sua correção está errada. Em grego a palavra é heosphoros. A palavra Lucifer é latim, e mais corretamente empregada como Lucem Ferre, que significa "portador da luz".

      Excluir
    2. Não querendo duvidar,mas o termo em latim correto não seria "Lux Ferre"?

      ps:não fiz o comentário daí de cima.

      Excluir
    3. Caro anônimo.
      Não. Lucem Ferre (Lucifer) é o nome em latim, que se origina do termo Lux fero, portador da luz.

      Excluir
    4. Revolta Lúciferiana

      Oh grande desilusão!
      Oh, que grande desilusão!
      Que grande sofrimento para estas almas infelizes que foram carregadas pelos acontecimentos que há tantos anos aprisiona seus corpos astrais

      O que fazer para poder se libertar deste vírus da ignorância que vitimou a todos que dele se aproximaram, todos que entraram em contato com as palavras do irmão lúcifer?

      Como pode um ser invocar tanto sofrimento para si e para todos aqueles que se aventuram nesta grande jornada que não findou em nada, a não ser em medo e desespero diante do desconhecido

      Oh, quão grande pode ser o sofrimento de um pobre espírito que ainda não encontrou guarida nesta encarnação
      Como pode um espírito se libertar de toda dor que carrega dentro de si por trair aquele que tanto amou, que o amou até o fim de sua existência física e o amará para sempre, em existência espiritual

      Como posso me olhar de frente sem me envergonhar de tão ignóbil ato
      Sem me atrever a olhar-me de frente
      Sem poder contemplar todo o universo e ver que eu – Lúcifer
      Que tudo organizei, fui e sou o responsável por todos o que ainda estão aqui congregados neste pequeno orbe terreno

      Quanto ainda vai durar a minha dor?
      Quanto ainda vai durar a minha dor?

      Sei que o meu Mestre já me perdoou muito antes mesmo que eu pedisse perdão
      Sei que o Mestre que ficou ao meu lado até o fim, já me olha de frente com uma benevolência ímpar

      Mas como posso eu responder a altura por tamanha prova de devoção e amor profundo?
      Como posso eu encará-lo de frente sem me sentir envergonhado de tamanha devoção e profundo respeito as minhas manifestações de dúvida?

      Oh, ledo engano.
      Por que o tempo, este que me consome tanto, não passa mais rápido diante do meu pesar?
      Por que ainda volto a este pequeno planeta e sou assaltado por lembranças que tento esquecer?
      Por que ainda me dói de forma tão profunda fatos que a tanto aconteceram?
      Por que ainda não consegui superar tamanho desamor de mim para comigo mesmo?
      Por que meu Senhor eu não consigo ainda olhar-te nos olhos?

      A resposta dou-te eu mesmo!
      Enquanto um único espírito que foi arrastado por mim a este pequeno planeta azul ainda estiver aqui, ou estiver em outro planeta que não o seu planeta de origem, eu não descansarei!
      Eu não descansarei e estarei ainda na luta para recuperar cada alma equivocada, cada ser espiritual que ainda não reconheceu o Mestre dos Mestres

      Viverei aqui somente para persuadir a cada um à volta-se para Aquele que nos deu vida, que nos guia inexoravelmente para junto do Pai!

      Eu, Lúcifer, estarei na guerra santa para trazer para junto de nós todos aqueles espíritos que ainda não visualizaram a luz divina

      Grande o meu erro!
      Maior será a minha vitória sobre mim mesmo!

      Eu voltarei em breve para terminar o que eu comecei há milhões de séculos passados.

      Até em breve.

      Excluir
  21. Me parece que essa ideia dos anjos decaídos, repousa em um único ponto que não é discutido no post,a possibilidade de um ser criado perfeito pelo próprio Deus poder regredir,degenerar,cair em fim.
    Segundo a teologia judaico-cristã,Deus é a perfeição suprema,a onipotência e a onisciência total ...além da bondade e justiça absolutas.
    Quando analisamos a ideia de Lúcifer,ser perfeitíssimo,criado pela própria perfeição em si mesma,em todos os seus atributos divinos(Deus)como consta nos relatos bíblicos,se cai em um paradoxo.
    Sendo esse deus,totalmente onisciente,considera-se que ele sabe absolutamente de todo o passado,presente e futuro de todas as criaturas que criou.Se Lúcifer veio a cair,é por que deus sabia que ele iria cair e bagunçar toda a criação com o caos.Vendo por esse prisma,a causa de todo mal e caos,não é Lúcifer e sim o próprio deus,por que Ele tinha consciência do que estava criando e que estava por vir,óbvio.Se não for assim,o paradoxo fica mais evidente,pois se ele não sabia,ele não seria onisciente e,por conseguinte,não seria perfeito,nem tão pouco todo poderoso,pois perdeu o controle daquilo que ele mesmo criou.
    Pela lógica aqui exposta há de se convir que essa estória não passa disso,apenas uma estória para embalar os povos primitivos sobre a origem das coisas,nada mais que isso.

    Sobre a ideia dos gigantes,é possível que realmente tenham existido e desaparecido com a evolução natural das coisas,devido ao alastramento vertiginoso da criatura mais mortífera que já surgiu na terra,o homo sapiens,que aniquilou toda raça que pode competir com ele ao longo das eras.Vamos pensar um pouco,os gigantes,como dizem os antigos,eram grandes,burros,lentos e estúpidos,Golias é um exemplo de lerdeza e burrice,só tinha a seu favor,somente o tamanho e nada mais.Em contrapartida os "homens menores"eram mais ágeis e inteligentes e viviam em tribos organizadas,além de armas mais eficientes.

    O fim da terra dos gigantes era certo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há paradoxo apenas não entendemos a linguagem que segue o fluxo de tempo na nossa dimensão

      Excluir
  22. cara, HISTÓRIA, não estória ¬¬

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. + um espertinho querendo aparecer, esse eu faço questão de publicar:

      "Estória é um neologismo proposto por João Ribeiro (membro da Academia Brasileira de Letras) em 1919, para designar, no campo do folclore, a narrativa popular, o conto tradicional.

      Alguns consideram o termo arcaico, por ter sido encontrado também em textos antigos, quando a grafia história ainda não havia sido consolidada na língua portuguesa.

      O termo acabou por não ter uma aceitação generalizada, não figurando nos dicionários portugueses e apenas em alguns brasileiros.

      Apesar de ter sido usada na linguagem coloquial, o termo nunca figurou na norma culta.

      O Dicionário Contemporâneo da Língua Portuguesa Caldas Aulete classifica o termo como brasileirismo, afirmando que a palavra foi proposta, mas deve ser usada a forma história.

      No Brasil, estória tem uma conotação de narrativa criada, inventada, sugerida, uma obra de ficção. Já a história é uma narrativa que faz parte dos fatos ocorridos na vida dos povos, uma obra não ficcional."

      O autor foi muito estiloso ao utilizar este termo para diferenciar mito de história legítima.

      Estude caro Vinicius.

      Excluir
  23. Partindo do princípio de que tudo que esta no "céu" é belo, brilhante, puro e iluminado, e tudo que está nas profundezas é sujo, feio, escuro e desconhecido, portanto perigoso. Chegamos a conclusão de que a luta eras inimagináveis entre os Anunnakis e o povo "serpente" ou o povo "bizarro" pelo direito de explorar o planeta. Lembrando que a bíblia trata de anjos desobedientes que foram "jogados à terra".

    ResponderExcluir
  24. Muito Boa esse post,eu fico muito curiosa pra saber mais sobre esses anjos caídos.

    ResponderExcluir
  25. Sua teoria cai por terra em dois caminhos 1) geneticamente é provado que somos evolução dos macacos e não adição de DNA alienígena , coisa que seria fácil de provar hoje.... e 2) Pessoas clarividentes ou pessoas que tenham merecimento já fizeram contato com anjos que comprovaram sua origem divina. Amigo resumindo vc é mais um pirado querendo distorcer a realidade espiritual que vc ainda não pode enxergar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi provado geneticamente que somos descendentes do macaco?!
      Acho que você deve estar confundindo informações existe uma compatibilidade de DNA com macaco bem como existe com outros animais, lembrando que foi investigado o que teria dentro do átomo o q foi encontrado foi o nada o que não quer dizer que seja de fato o nada, é mais provável que não tenhamos tecnologia para analisar o que tem dentro do átomo, bem como a "materia escura" conhecida como o "espaço"

      Bom sobre anjos pode até ser que haja alguma coisa assim que são seres de luz evoluídos que trabalham em prol da evolução dessa dimensão e talvez de outras mas não é o caso, alem disso o que te faz pensar que essas entidades não estaria mentindo sobre serem ou não serem anjos, outra coisa que é necessario é uma certa atenção é a etimologia da palavra porque às vezes de mensagens escondidas as escrituras...

      Excluir
  26. Eu sempre soube que não era daqui (Terra) ��

    ResponderExcluir

Os editores do blog Ab Origine têm profundo amor e respeito pelo livre pensamento e liberdade de expressão, porém respeitamos ainda mais o leitor que busca um ambiente de respeito às opiniões.

Por isso optamos por moderar os comentários, que serão excluídos nas seguintes condições:

• Piadinhas e infantilidades
• Palavrões e ofensas
• Desinformação

Todos os outros comentários serão publicados, independente da opinião do leitor.