terça-feira, 26 de julho de 2011

A Origem Obscura do Nome de Israel

'Israel' o nome de acordo com os judeus, significa "Deus reina", ou "Deus brilha". É apenas uma coincidência que 'Israel' o nome incorpora três deuses / deusas, ou é a razão para o nome de Israel?

Foi verificado que na era pré-cristã, houve inacreditáveis cultos de poder, com destaque para alguns cultos de grande proeminência. Estes foram os cultos solar, saturnino, lunar e do cogumelo.

É fácil entender que os adoradores da deusa lunar seguiam o culto lunar. Isis, Ártemis, Coaticue são alguns exemplos de deidades femininas adoradas nestes cultos. A Lua é um símbolo quase universal de feminilidade, passividade, fertilidade, periodicidade e renovação. Enquanto espelho da luz do sol, a Lua atravessa as suas quatro fases visíveis para a Terra e, neste contexto, é sinônimo de transformação e evolução, pois o seu movimento é de um eterno crescimento, de lua nova a lua cheia. A Lua define-se em relação ao Sol e este em relação à Lua, já que ambos simbolizam respectivamente a polaridade feminina e masculina. Aparentemente, a sua importância é secundária em relação ao Sol, mas na verdade a Lua é tão fundamental como o Sol porque rege a água, fonte de fertilidade e de vida. A Lua traduz os movimentos biológicos já que tem uma influência dominante sobre a água, seja nas marés, nas chuvas ou na constituição líquida dos seres humanos, dos animais e das plantas, sendo a água a maior percentagem da sua matéria. Símbolo da fecundidade, a lua está associada às águas que provocam o início da criação.


Já a adoração dos deuses solares indicava cultos solares. O deus, o pai, o fogo e o sol, são sinônimos mitológicos posto que é símbolo de criação; o sol é o pai visível do mundo, criador, fecundador. Ele simboliza o sêmem enquanto imagem do progenitor, símbolo do princípio da paternidade, do aspecto positivo e fecundador da força vital.

A forca vital psíquica, a libido, simboliza-se pelo sol ou personifica-se em figuras de heróis com atributos solares, assim como se expressa através de imagens do falo. Apolo, Rá e Jesus são exemplos de algumas deidades relacionadas às características solares.

O culto saturnino, adotado pelos fenícios e cananitas adorava El, ou Ely. Desde os tempos antigos, os sábios olhavam as estrelas, admirando seu brilho celeste e atribuindo-lhes poderes piedosos, com base em seus efeitos sobre os seres humanos. Antes do Dilúvio, Saturno era considerado por toda a humanidade como o deus supremo e soberano dos reis. Pesquisadores afirmam que Saturno governou o reino da Atlântida e se tornou o ancestral divino de todos os patriarcas e reis da terra. O culto foi perpetuado através de numerosos deuses durante a Antiguidade. Chronos ou Saturno, Dionísio, Hyperion, Atlas, Hércules, foram todos relacionados com um grande culto de Saturno. Saturno sempre teve um impacto negativo, se não uma significância do mal. Nos tempos antigos, ele tem sido chamado de "O Grande Maléfico", que foi oposição a Júpiter, "O Grande Benéfico". Saturno é esotericamente associado com o homem de limitações, restrições, morte e decadência.

Eis uma descrição das deidades de maior representatividade nos respectivos cultos lunar, solar e saturnino:

ISIS

Isis [IS] era uma deusa egípcia que remonta à quinta dinastia. Seu nome significa, literalmente, o aspecto feminino do trono - também a rainha do trono. No entanto, o hieróglifo de seu nome usado originalmente significava (fêmea) de carne, ou seja, mortal, e ela pode simplesmente ter representado deificando rainhas do Mundo. Ela foi o mais proeminente lembrada como a esposa de Hórus, ou, em períodos posteriores, como a esposa de Osíris e mãe de Hórus, e era adorada como a esposa e mãe arquetípica. Isis é o arquétipo feminino para a criação - a deusa da fertilidade e da maternidade. Ela passou por muitos nomes, tais como a "virgem" Maria, e desempenhou muitos papéis na história e na mitologia como deusa, virgem, e criador da vida feminina. 

Isis representa os aspectos femininos da vida - tanto homens como mulheres, pois ela representa a criação, o renascimento, a reencarnação, Ascensão, intuição, habilidades psíquicas, vibrações maior freqüência, amor e compaixão. Em outras palavras, ela representa a natureza e tudo o que é natural de nossa existência. Ela é a educadora mãe - a Alta Sacerdotisa - a deusa da criação, e talvez representando Eva, a primeira mulher e mãe de todos.

Isis se tornou proeminente no final de história egípcia, quando começou a absorver os cultos de muitas outras deusas. Ele eventualmente se espalhou para fora do Egito em todo o Oriente Médio e Europa, com templos construídos para ela tão distantes como as Ilhas Britânicas.

RA

Ra (Rê às vezes soletrado) é o deus-sol de Heliópolis, no Egito antigo. Ra originalmente significava "boca" na língua egípcia, e foi uma referência para sua criação das divindades do sistema Ogdoad, excluindo os oito conceitos que criou, pelo poder da palavra (compare como o Senhor disse ter criado o mundo). Mais tarde, em tempos dinásticos, Ra foi incorporado ao deus Hórus, como Re-Horakhty (e muitas variantes ortográficas). O Olho de Ra, ou o Olho Direito de Hórus é tanto o corpo inteiro de Ra, ou apenas seus olhos. Os símbolos de Ra são os símbolos solares de um disco de ouro ou o símbolo  (FIG.3) (círculo com um ponto em seu centro). Ele também foi associado com o Phoenix, como ele ressuscitou a cada manhã em chamas.

O Olho de Rá era um símbolo que significava poder real. Os antigos acreditavam que este símbolo de indestrutibilidade poderia auxiliar no renascimento, devido a suas crenças sobre a alma. A tradição mais recente da maçonaria o símbolo adotado na forma do Olho da Providência e, como tal, tem sobrevivido até hoje, e aparece como o Olho da Providência no do Grande Selo dos Estados Unidos. O olho de Hórus (ladeado por outros amuletos egípcios como o Nekhbet e Wadjet) foi encontrado sob a camada 12 de ataduras na múmia de Tutankhamon.

Hórus era um antigo deus da mitologia egípcia que dramaticamente evoluiu ao longo de toda a história egípcia. Logo no início, tornou-se identificado como um deus do céu, onde um de seus olhos era o sol, e o outro a lua. Seu olho “mais fraco” mais tarde se tornou menos importante na sua mitologia, e ele tornou-se mais fortemente alinhada com o sol. Como o sol, ou melhor, com seus olhos como o sol, seus olhos tinham um significado especial, e se tornou um símbolo de poder quando combinada com os aspectos hieráticos do assunto.

ELLIL

"O deus acadiano da terra e do vento. Ele é o filho de Ansar e Kisar, as divindades primordiais, e pai do deus da lua Sin. Juntamente com Ea e Anu ele forma uma tríade de deuses poderosos na religião da Mesopotâmia antiga. Ele é representado usando uma faixa que é decorado com chifres. Ele é equivalente ao deus sumério Enlil ".

"No mito Sumero-babilônica antiga, Enlil ("senhor do vento ") é o deus do ar, vento e tempestades. Enlil é o deus mais importante do panteão da Mesopotâmia, e é por vezes referido como Kur-Gal (" grande montanha ") . Na cosmologia suméria ele nasceu da união de um céu e da terra Ki. Estes separou, e ele levado a terra como sua porção. Em tempos mais tarde, ele suplantou Anu como deus principal. Sua consorte é Ninlil com quem tem cinco filhos: Nanna, Nerigal, Ningirsu, Ninurta, e Nisaba.

Enlil detém a posse das Tábuas do Destino, que lhe dá poder sobre todo o cosmos e as coisas do homem. Ele às vezes é simpático para com os homens, mas também pode ser um deus severo e cruel, mesmo que castiga o homem e envia catástrofes, como o grande Dilúvio que acabou com a humanidade com a exceção de Atrahasis. Enlil é retratado usando uma coroa com chifres, símbolo de seu poder. Seu templo
de maior prestígio estava na Nippur cidade, e ele era o patrono da cidade. Seu equivalente é o deus acadiano Ellil ".

O que eu também sugerem é que EL YHWH e dois separados "deuses" (ver: YHWH como Marduk). Assim, vemos que os deuses El e Yahweh são deuses distintos uns dos outros, tão distintos como os seus nomes individuais. Yahweh foi adorado como um deus da guerra dos desertos do sul da Palestina, que migraram para o norte de Judá, enquanto El era o deus de Israel, cuja casa foi Mesopotâmia. Historicamente falando, os dois deuses deve ser considerada como originalmente distintos que, posteriormente, foram relacionados e, finalmente, identificados através de sincretismo político e religioso.

CONCLUSÃO

Com o êxodo bíblico dos hebreus que saíram do Egito mostra que eles tiveram contato profundo com todos esses cultos, assim como estas nações. Quando chegaram a Canaã, fundiram o culto lunar de Ísis, o culto solar de Rá e o culto saturnino de El. Eu seja os antigos judeus associaram as crenças e estudos, tal como as completou de forma geral.

Formou-se assim uma nova nação chamada Isis-Ra-El, ou Israel. Verifica-se também o culto e a mitologia dos antigos Israelitas, a adoração a Javé, as lendas patriarcais, passagem pelo Egito, e assim por diante, estão enraizadas na religião do fungo sagrado, desenvolvida a partir da filosofia básica da fertilidade no Oriente Próximo antigo. A mitra judia, os turbantes muçulmanos e os quepes militares são todas derivações do símbolo do culto ao cogumelo.

Entretanto, um dos primeiros e mais proeminentes cultos foi o culto estelar. Suas raízes datam do início da civilização humana e está diretamente ligada aos antigos xamãs. Apesar de muitos desses cultos antigos terem sido criados com fins de cuidado com a Terra e equilíbrio energético-espiritual entre o planeta e os seres que o habitam, alguns foram utilizados com propósitos diferentes. Esse assunto, no entanto é igualmente extenso e complexo para abordarmos de forma superficial, sendo tema para futuras abordagens.


Henrique Guilherme
Escritor e estudioso
Curioso a cerca dos grandes mistérios das antigas civilizações

24 comentários:

  1. interessante seu raciocinio, mas vale ressaltar que o nome Israel dado por Deus a jacó , foi concedido centenas de anos antes do Exodo do egito.
    sua tese ta furada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só que o Pentateuco foi escrito depois do exilio babilonico em mais ou menos 400 aC...

      Excluir
    2. Kkk fatality, é cada uma teoria que aparece que naum sei não...

      Excluir
  2. Parabéns pelo post

    Conheça o novo agregador de links www.surpriselink.com/Inicial nele você pode enviar links com imagem e sem imagem, enviar links com liberação imediata, widgets customizados para seu site/blog e o novo sistema de mensagens e amigos para você convidar outras pessoas a visitarem seu blog, um agregador diferente dos que você está acostumado.

    Lembre-se quanto mais links você tiver na net, mais facil os buscadores acharão seu site/blog.
    Liberação de link imediata é bem melhor que ficar esperando não é? Então faça uma visita agora mesmo...

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo post! Matéria muito bem feita e embasada! Adorei o Blog!

    ResponderExcluir
  4. MEEEU! PERFEITO!! Aliás, tem gente que tá dizendo que o nome é anterior ao Êxodo?! Gente, a Bíblia não é referência histórica!! Consultem qualquer documento e estudo histórico decente que vocês comprovarão!!

    ResponderExcluir
  5. Olá amigo, na realidade o nome Israel não surgiu dessa forma, e seu significado na verdade é "aquele que reina com Deus" ou " Príncipe de Deus" esse nome foi conferido a Jacó pelo próprio Deus, no Val de Jaboque, após uma noite inteira de peleja. Através de jacó agora chamado de Israel formou-se uma grande nação, cumprindo a promessa que Deus havia feito a Abraão.

    Jeferson Luiz
    dedicado ao culto de Jesus Cristo meu salvador.

    ResponderExcluir
  6. sim, é verdade que o nome pode ter realmente se originado a partir desses tres deuses e quanto ao carinha que diz que foi deus que deu esse nome a jaco vai refletir um pouco que a bilbia também foi escrita sob forte influencia cultural dos povos daquela época. Deus também queria homenagear seus outros amigos deuses, ora essa.

    ResponderExcluir
  7. Olá! Gostaria de parabenizar o blog e o post muito bem embasado em fatos históricos, e quanto á história, não há o que contestar. Antes de qualquer um aqui ficar bravinho e postar comentários ofensivos, usem a internet para obter conhecimento acima de tudo, pois houve uma matéria em um canal de tv privado e respeitado, History Channel, sobre a origem do Nome ISRAEL, que é muito mais antigo que o que a Bíblia comenta. Então, meus sinceros respeitos, qualquer religião tem o meu respeito, mas o que não acho justo, são as pessoas entrarem em um blog e ofender uma postagem! Não gostou, ignora! Mas enfim... faz parte da natureza humana atacar àquilo que não tem "capacidade" de compreender. Mais uma vez, parabéns pelo post e pelo blog! Sucesso!!!

    ResponderExcluir
  8. Que legal três deuses em um só nome, que nome poderoso adoro esse nome pensando bem são quatro né já que remete a jeová também gostei de saber sobre essas outras fontes desse nome, sempre que pesquisava sobre o assunto encontrava textos bíblicos aquele sobre jaco que luta uma noite inteira com um homem desconhecido e depois descobre que era Deus recebendo o nome de Israel "aquele que luta com deus" bem nobre também meu nome foda ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não meu caro, seu nome não é o que este artigo está falando e sim com as pesquisas que tu fez e achou sobre Deus e Jacó, este é o verdadeiro significado. A não ser que você não seja um cristão, então aí pode acreditar em qualquer coisa, até nesses deuses.

      Excluir
  9. Ótimo post! Seu blog está de parabéns, continue assim!

    Acesse: http://www.frpromotora.com/44589066 e conheça a sua próxima oportunidade de renda extra e sem sair de casa. Faça um cadastro no site é simples, rápido e fácil. Faça um teste e conheça!

    ResponderExcluir
  10. Henrique G. Alves3 de agosto de 2011 00:11

    Obrigado a todos que postaram comentários a respeito da matéria! As referências utilizadas foram as mais variadas. Desde um pesquisa intensa feita através de sites especializados em semântica de línguas antigas, até mesmo bibliográfica sobre arqueologia e mitos pagãos. É IMPORTANTE FRISAR QUE esta é uma teoria bastante aceita na comunidade arqueológica mundial, porém é uma das várias teorias sugeridas. Dada a grande deturpação linguística e antiquíssima origem semântica, infelizmente não podemos ter 100% de certeza em tais pesquisas.
    Lembrem-se, nossa história é MUITO mais antiga do que imaginamos (e que nos ensinaram em escolas ou igrejas), portanto mantenham a mente aberta a novos estudos e indícios.
    Reforçando o tema do blog: “Não são as respostas que iluminam, mas as perguntas".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. “Não são as respostas que iluminam, mas as perguntas"
      Você acredita na bíblia?

      Excluir
  11. Seu post e interessante, mas em referencia a Ra há algumas incongruências, Ra nas 3 Enneads e visto com uma figura etérea que se transmuta em três ele participa com figura principal Pesedjets em duas enneads e como secundária em uma no qual Ptha e o principal, Ra segundo a pesedjet de annu ao amanhecer e Heru-ur (Horus, o velhos) que volta da terra dos mortos para dar lugar a Aten o sol brilhante que ao se por se transmuta em Atum.

    Você sita a Ogdoad, mais esse termo e usado para designar a nova classificação dos deuses egípcios durante o novo império e foi elaborado para poder incluir o deus oculto de Tebas Amon como principal e sua associação ao Ra. Mas não e uma fonte para se conhecer as características de Ra.

    As incorporações que você escreve e talvez uma das mais intrigantes características da religião egípcia no qual um deus “come outro” e assume suas características como acontece com Heru-ur que e absorvido por Horus filho de Isis.

    Gostei mesmo de seu post você teve uma conclusão que muitos estudiosos teimam em não admitir o caráter praticamente canibal da religião judaica ao se apossar de mitos e personagens de outros povos.

    ResponderExcluir
  12. gostei do comentario, parabens henrique, seu comentario sobre o nome israel tem grande verdade oculta, que nem todos consegue perceber, lamento que o jeferson e o carlos nao perceberam, que jacó nunca lutou contra deus, nem tão pouco seria, vencedor. um vencedor não pode sair deficiente depois da luta e seu inimigo ir embora de boa. jacó lutou com um soldado espião de saul, seu irmão. enviado por saul para saber se aquelas cabanas era de seu irmão jacó.

    ResponderExcluir
  13. A lógica é até interessante, estudou bem sobre as divindades, mas afirmar categoricamente que uma coisa determinou a origem da outra é mera especulação e tira o carater científico da explanação, até porque, se eu me interesso por determinado assunto, não quer dizer que posso explicar todas as questões do mundo a partir das informações oriundas desse único tema. Parece até "científico", mas é só "besteira especulativa".

    ResponderExcluir
  14. Primeiro, parabens por todos os assuntos muito bem direciobados em seu blog... agora, com relação ao de que o argumento de que esta tese seja furada, tratando-se do fato de que Jacó (o mentiroso filhinho da mamãe que roubou a primogenitura de seu irmão), receneu o nome de Israel após lutar com um anjo enviado por "Deus", blá, blá, blá... quero lembrar que o Pentateuco (os 5 primeiros livros que deram origem a atual Biblia), foi escrito ou ditado por Moisés, (um sacerdote frustrado, visto que não poderia ser Faraó, já que era de mãe Judia e tb não poderia ser Hierofante), no minimo 30 anos após sairem do Egito; logo é mais do que óbvia a intenção de Moisés de tentar salvar o ramo mais caido dos exilados de Capela.
    Diz-se que Moisés arrependeu-se barbaramente e por isso os faz penar no deserto durante 40 anos antes de leva-los a Canaã.

    ResponderExcluir
  15. Desculpe os erros no comentario anterior, pois escrevi correndo... só retificando e sintetizando o mesmo: O relato na Biblia sobre Jacó receber o nome de Israel após lutar com um enviado de "Deus", pode referir-se a um fato anterior a ida pro Egito, mas tal relato só foi escrito posteriormente a sua ida pro Egito; Sendo Moisés um ex sacerdote Egipcio o qual consta, escreveu ou ditou o petateuco:
    1 Génesis
    2 Êxodo
    3 Levítico
    4 Números
    5 Deuteronômio

    tendo escrito em aramaico arcaico com simbolismos ainda concernentes a sua formação sacerdotal egipcia, o qual muito se perdeu com as posteriores traduções para o grego e após para outras linguas muito mais se perdeu do significado original e muito foi propositalmente escondido (tradutor traitore).

    Portanto é pra lá de lógica: é cabalmente crivel a argumentação de Isis Rá Ely

    pena que a intenção de Moisés de trazer luz a um povo caido, até hoje não surtiu efeito.

    ResponderExcluir
  16. Marcelo Bastos sua observação é bem interessante. Como você mesmo diz muita coisa foi perdida nas infelizes, traduções e manipulações do original escrito pelas mãos de Moisés.
    Agora baseado em que você diz que as ações de Moisés foram por causa de dor de cotovelo por ele não poder ser faraó? Você pode me precisar o tempo em que Moisés descobriu ser hebreu ao seu rompimento com o Egito?
    Outra coisa me veio a mente, Moisés escreveu da maneira que você citou ou pelo fato de Sacerdotes e líderes egípcios terem conhecimento do idioma dos escravos hebreus, não o possibilitaria de escrever no aramaico original sem adições textuais egípcias (isso é uma dúvida)?
    Você possui algum link ou material sobre a vida de Moisés, extra bíblia?

    Um abraço

    ResponderExcluir
  17. Olá, senhores e colegas internautas!
    Não acessei o blog, ainda, mas li as linhas escritas pelo autor, sobre tema bastante "tabu" entre os "religiosos" que gostam de usar destes temas (uso da boa "fé" de tantos), para manipulá-los a seguirem-nos, sem questionarem-nos, como verdadeira massa de manobra. Gado mesmo. Porém, quando surgem pessoas que resolvem seguir por trilhas próprias, rapidamente também surgem fanáticos que tem preguiça ou não sabem racionar, e, assim, começam a denegrir e/ou desqualificar o trabalho dos outros.

    Parabenizo o autor pelo texto de pesquisa, superficial, claro, mas nem por isso sem a importância devida. Parabenizo também aos comentaristas honestos com suas críticas bem fundamentadas, as quais, creio, só devem estimular a todos nós, curiosos ou não, mas que ávidos por conhecimento.

    Valeu!

    ResponderExcluir
  18. Corretíssimo sus informações.
    Os que falam contrário é porque só conhecem a 'h'istórias do PLAGIO ou seja, o ERRO chamado de PAPEL INSPIRADO.
    Por exemplo: nas PLACAS CUNEIFORMES de UGARIT, está escrito "YHD" (NÃO tem como mudar pois, está fixo no BARRO/PEDRA, e o PAPEL ???), e como descobrir que "eles" ("aquela turma de lá e o mundo foi atrás") ADORAM o MESMO ERRO ??? Simplesmente depois de muitos anos (para ENganar o que já era ERRO), trocaram a letra "D" por "W" que tem o mesmo SIGNIFICADO usando as CIFRAS 'H'EBRAICAS, e deu no que deu, (YHW). (E hoje com o ERRO dos sinais massoréticos se expressa "YeHW ou seja, YeRU ???)
    Essa TURMA não podem dizer ??? (e falam que sabe qual o nome do "deus") então por que NÃO podem falar ??? Claro, virá a TONA de quem eles adoram, ou seja, o tal de "HERU" (nessa palavra/nome se descobre um monte de situações mas, com a mesma ADORAÇÃO ao SOL.
    Pesquise ou pesquisem sobre: BETH SHEMESH = casa do SOL, e pergunto: ONDE FICA ESSA CIDADE ??? Precisa GRITAR ???
    Parabéns e abraço.

    ResponderExcluir
  19. Estranho um povo que foi "escravizado" pelos egípcios, escolherem is de Ísis, rá deus sol.
    Tem algo errado.

    ResponderExcluir
  20. As mitologias se repetem: Saturno que comeu seus filhos.
    É por causa de Saturno que os judeus tem a relação com sábado.
    Dia desse um judeu ortodoxo veio me pedir para desligar os faróis de seu carro no sábado, seu filho estava passando mal e ele teve que dirigir para levá-lo ao hospital. Fiquei chocada com isso.
    Que deus é esse.Tá doido

    ResponderExcluir

Os editores do blog Ab Origine têm profundo amor e respeito pelo livre pensamento e liberdade de expressão, porém respeitamos ainda mais o leitor que busca um ambiente de respeito às opiniões.

Por isso optamos por moderar os comentários, que serão excluídos nas seguintes condições:

• Piadinhas e infantilidades
• Palavrões e ofensas
• Desinformação

Todos os outros comentários serão publicados, independente da opinião do leitor.