segunda-feira, 5 de março de 2012

Viagens no Tempo e Alguns Casos Relatados

No século 4 d.C., Santo Agostinho dizia que se alguém perguntasse a ele o que era o tempo, ele saberia, mas se fosse explicar, já não saberia.
Em 1949, o matemático Kurt Godel, acreditava que o homem poderia voltar ao passado, tal como Albert Einstein. Einstein inclusive mostrava que fatores como a ação da gravidade e a velocidade com que um corpo se movimenta, afetam o fluxo do tempo.
O pesquisador do centro Brasileiro de pesquisas físicas do Rio de Janeiro, Mário Novello, não acreditava que as viagens no tempo poderiam ser possíveis. Após pesquisar arduamente as teorias das viagens no tempo, Novello mudou de opinião, hoje acredita que exista possibilidades e até escreveu um livro sobre o tema “O Círculo do Tempo – Editora Zahar/2004”. Também escreveu um artigo para a conceituada Revista americana “Physical Review D” sobre a possibilidade de se enviar um fóton para o passado.



A viagem no tempo é um assunto comum em filmes, seriados e livros de ficção científica.  Uma das obras mais famosas é “A Máquina do Tempo”, livro de H.G. Wells, que já foi adaptado para o cinema e para os quadrinhos mais de uma vez.
Antes de Wells, a viagem no tempo foi abordada por outros autores, e está presente até mesmo em textos sagrados e antigos, como o Mahabharata. No famoso texto hindu, o Rei Revaita viaja para o céu para se encontrar com o criador Brahma e, ao voltar, descobre que eras se passaram enquanto ele estava fora da Terra.
Embora Wells não tenha sido o primeiro a abordar o assunto em uma obra, ele foi o criador do termo “máquina do tempo”, que passou a ser usado para designar aparelhos utilizados pelos viajantes para ir de uma época a outra rapidamente.
Mas engana-se quem pensa que este é um assunto exclusivo de textos de ficção ou religiosos, como no caso do Mahabharata. Físicos conceituados vêm se dedicando à viagem no tempo a muitos anos e, embora a ciência veja o assunto de maneira mais moderada, ele continua tão fantástico quanto na ficção.
Muitos filmes sobre as viagens no tempo, aguçam a nossa mente, como os filmes “De Volta para o Futuro”, “O Exterminador do Futuro” e “TIMECOP – O Guardião do Tempo”. Mas até onde a ficção poderá virar realidade?

- O Projeto Philadelphia
No ano de 1943, algo aconteceu na Filadélfia ligado ao destróier "Eldridge". A experiência consistia em aplicar as teorias de Albert Einstein e Nikola Tesla, para obscurecer visual e eletronicamente um destróier dos EUA, no caso o destróier de escolta USS Eldridge, através do uso de um campo eletromagnético de alta intensidade em torno do navio, que fosse capaz de bloquear as emissões do radar inimigo, tornando-o invisível e indetectável. Esse efeito era baseado num processo conhecido pelo nome de Egaussing: uma idéia simples, porém de difícil execução. O experimento modificou todo o navio, instalando poderosos geradores e eletroimãs interligados e segundo as poucas testemunhas o que se viu foi um fato insólito… O destróier tinha geradores de invisibilidade “para não ser observado por radares inimigos”. Ele não desapareceu somente dos radares por alguns instantes, parece que passou para outra dimensão, deixando a tripulação inquieta e nervosa por não saber o que estava acontecendo. Alguns relatos dizem que a tripulação sofreu grandes conseqüências com essa experiência, alguns marinheiros pareciam dissolver no ar ao andar, alguns reapareceram fundidos a fuselagem do navio, outros desapareciam e não voltavam mais, já outros pareciam voltar ao tempo “em alguns segundos”.

“Do navio de observação USS Andrew Furuseth, os oficiais e técnicos a bordo puderam vislumbrar uma névoa verde, fruto da rápida ionização do ar em torno da embarcação, e um som de cascata decorrente da eletricidade estática que varreu as imediações.Durante alguns minutos, a experiência foi um sucesso. O navio se tornou invisível não só ao radar, mas também a olho nu, com a marca do seu casco impresso nas águas do mar. E a embarcação que oscilava, ora transparente, ora invisível, de repente desapareceu. O que sucedeu a seguir são fatos extraordinários, baseados na narrativa de três homens que supostamente participaram deste fantástico acontecimento. O navio Eldridge - através de intensos campos eletromagnéticos que distorceram o espaço-tempo - ficou quatro horas sumido, sem qualquer contato visual ou de rádio, vindo a materializar-se misteriosamente no Porto de Norfolk, que ficava a quilômetros de distância da Filadélfia. Lá permaneceu por alguns minutos e novamente desapareceu, reaparecendo no seu local de origem.”
O relato acima se baseia na história de Carl Allen, um dos tripulantes do navio de observação e uma das duas únicas testemunhas do evento e que morreu em 1994, no Colorado.
Assim, uma experiência relativa a aplicações práticas do eletromagnetismo, ou da Teoria Unificada de Campos, para atingir invisibilidade física ou eletrônica de aeronaves, navios ou veículos de terra não deveria ser considerada como algo totalmente impossível de ter acontecido. A maioria das pessoas acredita que a experiência teve efeitos trágicos na tripulação do navio e produziu fatos científicos que eram altamente inesperados e talvez até mesmo tenha criado uma anomalia do espaço-tempo.
Misteriosamente, o diário de bordo do destróier desapareceu, desaparecendo assim as provas concretas do acontecimento. Em relação à ligação de Einstein com a experiência, foram encontrados documentos que confirmam que no ano de 1943 à 1944, Albert Einstein constava na folha de serviço do ministério da Marinha em Washington – “a mesma época do ocorrido do Destróier Eldridge”.


O navio o USS Eldridge, foi usado pela marinha americana até 1946, sendo repassado para a marinha grega onde permaneceu em uso até 1991, quando foi decomissionado e transferido para a Base Naval de Amfiali. O navio foi descartado para o ferro velho durante a segunda metade dos anos 90. Verdade ou não o navio foi repassado com grandes mudanças em seu peso bruto, fiações extras que não levavam a lugar nenhum e compartimentos lacrados.

- John Titor – O Viajante-Zero
Em novembro de 2000, alguém muito misterioso repentinamente participou de um grupo de discussão na Internet, autodenominando-se VIAJANTE-ZERO e se declarando um viajante do tempo proveniente do ano 2036!
Mais tarde identificando-se com o nome de JOHN TITOR, foi alvo de muitas críticas e de total descrédito.
Talvez aborrecido com as gozações e para provar que estava falando a verdade, o tal "Viajante-Zero" postou uma série de intrincados diagramas, manuais, esquemas técnicos (foto) e até mesmo algumas fotografias que devido a complexidade sugerida, tal como a lógica aplicada acaba por dificultar creditarmos ser uma simples brincadeira.
Define-se por "WORMHOLE" uma hipotética estrutura do espaço-tempo com a aparência de um túnel (daí o seu nome), conectando pontos que se acham separados no espaço e no próprio tempo. Existem relatos de testemunhas (o qual optam por manter-se anônimos) que essa é uma tecnologia que hoje vem sendo secretamente desenvolvida pelos cientistas e pelos físicos de vanguarda, notadamente nos EUA, de modo a possibilitar a criação a ativação prática de verdadeiros "Stargates" que possibilitariam as viagens através dos intrincados meandros do tempo, tanto para o passado quanto para o futuro.
O interessante é que o gráfico apresentado pelo “Viajante-Zero”era nada menos que a diagramação técnica de um wormhole, antes mesmo de os nossos cientistas o descobrirem!


John Titor, ou seja lá qual tenha sido o seu verdadeiro nome, revelou que a sua unidade, ou vetor para viajar no tempo era denominada C204, utilizando quatro relógios de CÉSIO.


Já um outro tipo, segundo ele, a C206, utilizaria 6 dessas unidades de Césio acopladas a um sistema óptico para checar as oscilações de freqüência. Tudo isso destinado a tornar mais confiáveis os acessos ao que chamava de "linhas mundiais de tempo".


O tal C204 será, segundo ele, fabricado no futuro pela GE (General Electric), sendo utilizado pelo Exército Americano, conforme pode ser lido no esquema acima que apresentou na Net, denominado "Descrição Principal dos Sistemas".

Acima está o "Army Model C204 - Dispositivo de Distorção de Gravidade e Deslocamento no Tempo", praticamente o "cérebro" do sistema usado na máquina temporal de John Titor.

Em Março de 2001, o tal Viajante-Zero, que por sinal nunca mostrou seu rosto ou sequer revelou de onde exatamente mandava as suas mensagens e também as suas espantosamente precisas e muito técnicas ilustrações, anunciou que deixaria o nosso tempo e retornaria ao ano 2036.
Logo depois disso, de fato simplesmente "sumiu do mapa" e nunca mais se ouviu falar dele.
O assunto foi levado muito a sério, uma vez que até hoje existem investigações oficiais secretas, como também inúmeras especulações leigas sobre ele!

Titor, antes da sua partida, divulgou ainda a insígnia da sua equipe de viajantes, ou quem sabe da sua expedição militar (acima). Quando indagado sobre as razões e os motivos das suas viagens revelou que elas eram destinadas a colher informações ou CERTOS ÍTENS QUE SERIAM NECESSÁRIOS NO ANO 2036. Revelou ainda que efetuou várias missões desse tipo entre os anos de 1960 e 1980.


Mais tarde, declarou que já em 1975 fora enviado em uma outra antiga missão para se apropriar de um computador IBM chamado 5100 (modelo visto na foto acima e tendo ao lado o seu processador), pelo fato de ter sido um dos primeiros computadores portáteis e que seria o único no seu futuro a "ler" velhas linguagens de programação IBM, perdidas com o tempo.

Algo que fazia sentido, pois logicamente lhe perguntaram sobre o que iria acontecer no nosso imediato futuro.
E sem errar qualquer uma das suas previsões, inclusive o atentado ao World Trade Center que viria a ocorrer em 11 de setembro de 2001, revelou que uma guerra nuclear será deflagrada em 2015, matando perto de 3 bilhões de pessoas!

E dizem que a IBM quando consultada, realmente deu por falta de uma dessas unidades que estavam desativadas e guardadas nos seus depósitos como relíquias do passado da Empresa e da Era da Informática.
Mas, dando razão a John Titor, a verdadeira razão da IBM em preservar o 5100 não era exatamente essa.
Depois das revelações de John Titor, um alto funcionário da IBM ao ser consultado revelou que o 5100 era, de fato, dotado de uma rara interface entre sua codificação e o emulador, a qual permitiria a qualquer programador acessar TODOS os códigos da IBM, tendo sido justamente por esse motivo tal função suprimida por medo da concorrência e também da espionagem industrial.
Além dessa estranha missão, John Titor (por razões de segurança obviamente deve ter se tratado de um nome fictício, uma vez que se revelasse o seu verdadeiro nome poderia ser capturado, ou interceptado, AGORA na nossa época, quando criança) jamais revelou o que viera fazer (ou buscar) naquela sua então mais recente missão ao ano 2001.
John Titor nunca mais foi visto desde então.

- O Viajante do tempo de Wall Street

Investigadores federais prenderam um enigmático aplicador de Wall Street acusado de ter acesso a informações internas e privilegiadas. E por incrível que pareça, na época em que foi preso, alegou ser um viajante do tempo do ano 2256!
Fontes da Comissão de Segurança confirmam que Andrew Carlssin, de 44 anos, ofereceu esta bizarra explicação para seu incrível sucesso no mercado de ações, após ser levado algemado em 28 de janeiro.
"Não acreditamos na história desse cara - ou ele é um lunático ou um mentiroso patológico", disse um membro da Comissão.
"Mas o fato é que, com um investimento inicial de apenas 800 dólares, em duas semanas ele tinha um portfólio avaliado em 350 milhões de dólares.
Toda transação que ele fez deu lucros, mesmo sendo em áreas inesperadas dos negócios, o que não pode ser simplesmente sorte. Ele só pode ter conseguido através de informações internas ilegais.
Ele vai ficar sentado em uma cela na Ilha Riker até concordar em divulgar suas fontes".
Quando investigadores pressionaram Carlssin durante o interrogatório, foram surpreendidos por uma confissão que durou quatro horas.
Carlssin declarou que viajou de volta no tempo a partir de 200 anos no futuro e que seu conhecimento de nossa época lhe permitiu acumular a fortuna que obteve.
"Era tentador demais para resistir", teria dito Carlssin durante a confissão, que foi gravada em videotape.
Para provar que estava falando a verdade, Carlssin se ofereceu para falar sobre "fatos históricos" como a cura da AIDS e o real esconderijo de Osama Bin Laden.
Tudo o que ele quer é que permitam que volte ao futuro em sua "nave temporal".
Mas ele se recusa a revelar a localização da máquina ou falar como ela funciona, supostamente com medo de que a tecnologia "caia em mãos erradas".
O mais intrigante é que os agentes ainda não encontraram nenhum registro existente sobre qualquer Andrew Carlssin antes de dezembro de 2002.

- Um viajante do tempo fotografado?
Observem a foto abaixo:

Essa foto foi tirada na reabertura da ponte Fork South Bridge após inundação em novembro de 1940 no Canadá.
Nota-se algo estranho? Observem o rapaz denotado na foto!
Ele está vestindo um tipo de moletom com uma camiseta com um "M". Nitidamente é a única roupa diferente com relação às outras pessoas que estão assistindo o evento.
Trata-se aparentemente de uma roupa típica dos anos 1990 ou 2000, sem dúvida. Em 1941 não existia esse tipo de vestimento.
Outro ponto interessante são seus óculos. Esse é um modelo esportivo que não era fabricado na época.
Agora, algo marcante: A máquina fotográfica.

Ampliando-se com zoom, nota-se que é um modelo moderno com Teleobjetiva. Esse modelo também não é da época.
Seria o rapaz da foto um viajante do futuro que voltou ao passado e estava no local?
É interessante observar que analisando-se a foto, não existem indícios de que a mesma tenha sido forjada, parecendo uma imagem original. Segue a fonte da foto:
É interessante comentar que o site (museu virtual fotográfico do Canadá) onde está hospedada a foto não tem motivos para publicar uma foto falsificada.

- Problemas com a viagem no tempo
Uma das contradições mais famosas ao tratarmos das viagens no tempo é o Paradoxo do Avô. Ele pode ser explicado de pelo menos duas formas.
A primeira situação seria a seguinte: um cientista inventa uma máquina do tempo e viaja para o passado. Então ele decide encontrar ele mesmo e impedi-lo de inventar a máquina do tempo.
Mas nesse caso, se a máquina do tempo não foi inventada, como é que ele voltou para o passado?
Situação semelhante, porém mais violenta, teria o viajante que voltasse no tempo para matar o próprio avô, impedindo assim que seu pai nascesse, por exemplo, e, consequentemente, que ele próprio nascesse. Novamente, uma contradição acontece: afinal, se ele não nasceu, não poderia ter voltado no tempo para evitar o próprio nascimento.

Como é que essas situações poderiam ser resolvidas, já que a viagem no tempo, aparentemente, não é impossível de ser realizada?
Existem pelo menos duas soluções para o problema. A primeira é a mais simples e, por coincidência, a menos divertida: a interação com o passado não seria permitida. Em outras palavras, o viajante apenas observaria os acontecimentos, como se estivesse uma máquina de realidade virtual.
A outra solução para os paradoxos é a preferida de todos e também a mais “viajante”: universos paralelos.
De acordo com a física quântica, quando uma “decisão” precisa ser tomada, todas as possibilidades são tomadas paralelamente.
Explicando melhor, digamos que uma partícula esteja se locomovendo em direção a uma parede com dois buracos. Ao se aproximar, ela precisará passar por um dos buracos (esquerda ou direita), para prosseguir. Mas não importa por qual buraco ela esteja passando, pois ela já passou pelos dois ao mesmo tempo.
E sabe o que deixa essa situação ainda melhor? Nós não conseguimos detectar ela passando pelos dois buracos, pois afinal, nós e o nosso equipamento de medição estaríamos em apenas uma das realidades.
Podemos então pensar que, quando tomamos alguma decisão ou simplesmente praticamos alguma ação, acabamos criando uma cópia do universo, que passa a se comportar de acordo com a ação ou decisão que escolhermos. Algo que, de acordo com a Física Quântica, acontece a todo o momento, mesmo sem a viagem no tempo.

Simultaneamente, outros universos, com realidades paralelas, foram criados, com a vida seguindo normalmente por lá, como se tivéssemos escolhido ou feito outra coisa.
Dessa forma, um viajante que voltasse no tempo, poderia na verdade estar indo para um universo paralelo, enquanto permaneceria no presente de outro universo. Assim, ele poderia matar o “avô” sem interromper a própria existência.
Porém, o viajante no tempo poderia correr o risco de, ao impedir a própria existência, acabar modificando o mundo todo. É o chamado Efeito Borboleta, em que qualquer interação, por menor que seja, pode causar efeitos imprevisíveis, alterando completamente o curso da história.

-Conclusão
Seria possível viajar no tempo? “Sim”, seria a resposta mais curta. Porém, muitos aspectos ainda precisam ser estudados e, obviamente, precisaríamos de uma tecnologia que ainda estamos longe de conseguir.
Recentemente uma notícia esquentou um pouco mais a discussão sobre o assunto. Pesquisadores da Universidade de Queensland, Austrália, descobriram que é possível enviar “mensagens” para o futuro.
O entrelaçamento quântico prevê que, quando duas partículas estão muito próximas uma da outra, elas acabam se comportando como se fossem uma só. Mesmo depois de distanciadas, qualquer alteração provocada em uma das partículas acabaria modificando também a outra.
O que o Dr. S. Jay Olson descobriu foi que, além do espaço, o entrelaçamento quântico também afeta o tempo. Assim, o estado de uma partícula que exista às 11h45, por exemplo, pode ser enviado para a mesma partícula às 12h15, sem precisar passar pelo intervalo de tempo que as separa.

Nesta matéria, entramos em um ramo extremamente enigmático da ciência e do anseio humano. Mas, quem somos nós para duvidarmos que em um dia consigamos dominar a ciência do tempo? Afinal de contas, quantas invenções modernas e corriqueiras a nós hoje, foram desacreditadas no passado e totalmente ridicularizadas, não é? A curiosidade humana não conhece limites e quem sabe já não tenhamos cruzado ou até interagido com alguns visitantes do futuro. Só esperamos que com o tempo, a humanidade tenha realmente apreendido com nossos erros e parafraseando o célebre intérprete Cazuza, não tenhamos de cantar eternamente: “Eu vejo o futuro repetir o passado; eu vejo um museu de grandes novidades...o tempo não pára...”



Henrique Guilherme
Escritor e estudioso
Curioso a cerca dos grandes mistérios das antigas civilizações

48 comentários:

  1. Muito bom, especialmente sobe ao foto do garoto em Canada no ano 40, bem extranho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O tempo-espaço-realidade é ilusório e real e ao mesmo tempo é cíclico.Por isso em todo o mundo as "histórias " são as mesmas sobre esse mistério que nos aflige:Quem somos , de onde viemos ?E o J.Titor errou nas contas, serão quase 5 bilhões de pessoas mortas.

      Excluir
    2. como sabe que serão 5 bilhõoes? vi me dier que é um viajante no tempo também???

      Excluir
  2. muito, mais muito interessante mesmo, valeu!

    ResponderExcluir
  3. Creio que uma viagem ao passado teria uma co relação com multiversos, pois tal qual o filme Efeito Borboleta, uma simples mudança poderia alterar todo o futuro, inclusive vindo ao viajante não ter nascido.

    ResponderExcluir
  4. A teoria do avô é muito interessante que só tenta explicar a viagem para um hipotético passado pois é o único possível para nós.Explico,o futuro não foi feito ainda,é o efeito de uma série de cadeia de eventos,simples fatores de causa e efeito,o presente é a causa,o futuro é o efeito,logo,pela lógica exposta,não é possível.É uma questão muito insólita e metafísica e ainda sim fascinante...
    Não é possível viajar ao futuro,mas sim ao passado por que já foi registrado,pelo menos,para nós,mas a humanidade que está lá,nesse passado,o futuro ainda não foi feito,por ser uma consequência dos atos dessa mesma humanidade,é bem estranho...

    Um paradoxo muito interessante também,é o chamado
    "Paradoxo de Langevin" ou "O Paradoxo dos Gêmeos".
    Nessa hipótese,um dos irmãos idênticos,faz uma viajem de ida e volta para uma galáxia distante a velocidades iguais a da luz,deixando seu irmão na terra.
    Ao voltar para nosso planeta,nada que ele deixou aqui existiria mais,inclusive seu irmão,pois o tempo teria corrido mais lento para ele na nave,não se alterando,mas para seu irmão na terra,já teria se passado milhares de anos,pois o tempo nos planetas corre de maneira diferente do quê nas profundezas do espaço."Provavelmente",o nosso astronauta encontraria outra humanidade e os descendentes de seu irmão a muitas eras falecido.

    Ao se estudar as possibilidades da viagem temporal,cuja a Física Quântica indica ser possível(na Física Quântica tudo é possível,inclusive dimensões espirituais)vão se amontoando paradoxos e mais paradoxos como o descrito acima,mas como sempre,não são as respostas que fazem a humanidade progredir e sim os problemas.

    Creio que ainda estamos engatinhando no conhecimento desse novo ramo da física,por isso tantas teorias insólitas,mostrando que ainda falta um ponto de equilíbrio para tudo isso.

    Um dia,chegaremos lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No paradoxo dos gêmeos, o motivo pelo qual o gêmeo que viajou não encontra mais o seu irmão não tem nada a ver com o tempo "correr diferente nas profundezas do espaço", isso não é verdade. O tempo é relativo e sempre corre de acordo com o referencial, não com o "espaço" em que está correndo. O motivo é que o gêmeo que viaja, o faz na velocidade da luz, e qualquer corpo acelerado a velocidade da luz acaba por sofrer influência mínima - quase nula - do tempo, enquanto que o outro que permaneceu na terra não deixou de sofrer a influência do mesmo.

      O próprio paradoxo dos gêmeos contradiz a sua afirmação de que "viajar para o futuro é impossível, porém para o passado é mais provável", visto que um corpo que se mantenha acelerado a velocidade da luz fora da órbita terrestra, ao voltar, vai encontrar a terra no "futuro", pois ele é o referencial.

      Excluir
    2. Se o futuro ainda não existe pois "é o efeito de uma série de cadeia de eventos,simples fatores de causa e efeito", como alguém de 2036 (do futuro) pode ter visitado nosso passado em 2001? Outro paradoxo..rsrs

      Excluir
  5. Eu acredito muito em viagem no tempo e obrigado pela postagem.

    ResponderExcluir
  6. Esse papo de guerra nuclear em 2015 é tenso.....Espero não estar entre aqueles 3 bilhões de pessoas que Titor disse morrer

    ResponderExcluir
  7. interessante! mesmo assim perigoso, e como no filme efeito borboleta pequeninas coisas mudam todo o futuro, quantas vezes não escapamos de sermos atropelados ou acidentes por pequenas frações de segundos?

    ResponderExcluir
  8. Muito interessante! Parabéns pela matéria!

    ResponderExcluir
  9. Sensacional a material meu amigo, faz tempo que nao eu nao me deparava com algo de conteudo tão elevado.
    So um comentario, por favor, não permita propagandas em seu blog, ele é muito bom para ser contaminado por oportunistas.
    Um abraço e boa sorte.

    ResponderExcluir
  10. Não consegui intender a tal "contradição" sobre voltar ao passado e evitar a maquina do tempo de ser construida ou de matar o avô, pois não existe contradição.

    Ele no futuro ja velho e iventou da maquina do tempo PODE voltar ao passado tranquilamente e até matar o avô dele, o problema não está ai, e sim no momento em que ele mata o seu avô, isso faz com que sua existênca seja perdida no futuro , ele desaparece, ao mesmo tempo também fica vivo.

    Explicação simples : Mundos pararelos, quando você viaja ao passado você ja cria um mundo paralelo onde você viajou e onde voce não viajou, então ao viajar, voce vai para outro mundo paralelo e la você mata seu avô, mais em um mundo onde você não conseguiu viajar , você ainda vive, porém estará morto naquele que matou seu avô.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo com vc cara. O q vc falou é tipo aquele filme CONTRA O TEMPO estrelado por Jake Gyllenhaal se vc não assistiu sugiro q assista!! no filme acontece umas coisas bem parecida com o q vc descreveu acima.

      Excluir
  11. Bastante interessante...
    Apesar de não saber se possível ou não o assunto desperta muitas curiosidades.

    abraço

    ResponderExcluir
  12. Eu acredito q exista varias dimensões,e existindo varias dimensões a viagem no tempo é possivel.mas no meu ver não hà como mexer na historia ocorrida, e veriamos tudo como video-game msm.

    ResponderExcluir
  13. sei lá, mas se vc voltar no passado uma vez, quem garante que isso não vá se tornar algo repetitivo. um ex.: você volta no tempo no ano de sei lá 1900, depois você retorna para a atualidade ai você resolve voltar de novo no ano de 1900, quando voc~e chegar lá pode ser que aconteça de você se deparar com você mesmo ou seja um ciclo sem fim. Só uma hipotese.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é como i cara ali de cima disse, quando se pensa em viajem no tempo vários paradoxos são encontrados...

      Excluir
  14. Cara...
    tu conseguiu montar um blog interessante
    parabéns

    Histórias pra céticos....
    to gostando do que to lendoa té agora

    ResponderExcluir
  15. Eu imagino que a nossa vida é um eterno indo e vindo:As sementes e árvores,as águas e evaporação, e chuvas,pae mãe e filho resultado da continuidade genetíca, os sonhos, regresôes?

    ResponderExcluir
  16. quem gosta desses tipos de teorias assistam o anime Stein.gate
    Ele fala um pouco sobre John Titor

    ResponderExcluir
  17. Existe ainda um video de qualidade baixa, das filmagens de um filme de chaplin em 1928 onde pode ser vista uma mulher conversando com alguém em algum tipo de telefone que com certeza não existia na época. Ela não está ouvindo apenas, pois a expressão do seu rosto é de alguém que está literalmente trocando um idéia, link do youtube abaixo, abraços, bom post.

    http://www.youtube.com/watch?v=3Mfj-kudRhE

    ResponderExcluir
  18. era justamente oque eu imaginava quando viaja no tempo voce vai para outra dimenção

    ResponderExcluir
  19. o assunto é realmente fascinante, me pergunto se realmente é possível viajar no tempo, a parte mais interessante ( na minha opinião) é da guerra em 2015, será que realmente irá acontecer?? uma guerra nuclear com este numero de mortos, imagine o caos que o mundo não viraria... só espero não estar entre estes 3 bilhões de mortos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prefiro morrer antes do que vê familiares morrendo ou sofrendo.

      Excluir
  20. Muito boa essa matéria. É um assunto fascinante. Gostei da história de John Titor o Viajante-Zero. Muito bom esse blog.

    ResponderExcluir
  21. Sensacional esse Blog! Esta em meus favoritos. Sobre 5 bilhoes de mortos eu acredito sim.
    Daqui pra Setembro vai acontecer muita coisa...
    Passem a contar.

    ResponderExcluir
  22. Sei lá pessoal, mas isso me parece muito perigoso...

    Pense numa raça alienígena em guerra conosco e que tivesse certa "dificuldade" nos tempos de hoje, eles simplesmente poderia voltar no tempo antes da revolução industrial e simplesmente matar os gênios e inventores...assim a revolução não teria ocorrido... ja pensaram nisso???

    PRONTO, assim não teriam nenhuma dificuldade de nos dominar no tempo presente.

    A nossa sorte é que os ETs de hoje são bonzinhos e nem pensaram nisso... mas espera até chegar os ETs do mau... aí meu filho só Deus, e olha lá... MEDO!!!

    ResponderExcluir
  23. Star trek,aí vamos nós..

    ResponderExcluir
  24. Viajar no tempo não é algo tão perigoso assim, poucas coisas mudam quando você faz uma viagem curta, más uma longa pode impedir que várias coisas de sua vida normal de hoje, de ontem, e o que está por vir mudem. Pode sim ser perigoso. As táticas para viajar no tempo são fáceis, más não muito seguras, porem para tudo se sabe que existe consequências, e poucos e até mesmo somente alguns seres humanos adquirem e conhecem essa sabedoria. Não podem ser reveladas tão cedo pelo grau de evolução que ainda o ser humano não alcançou, para tudo tem uma hora certa. Uma dica para quem pretende estudar a forma de como quebrar a barreira que nos permite deslocar se dessa realidade/dimensão e passar para outras é o estudo da matemática, e angulo perfeito das pirâmides, energia cósmica, equilíbrio estável, mental, espiritual e de sentimentos sobre si mesmo e uso enteógeno de fungos e plantas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ... uso enteógeno de fungos e plantas!...
      KKKKKKKK, jeito bonito de falar: chapar o côco!!!!
      Fora isso, amei o artigo...

      Excluir
  25. Belo post! o texto sobre o viajante Zero realmente é muito impressionante!
    A imagem do viajante no tempo do Canadá já havia visto em outros lugares... mas o link postado aqui está errado (leva ao diretório do seu PC). copiando e colando o link, ele leva para as galerias do Museu do Canadá, mas há inumeras galerias.
    então sugiro que coloque corretamente o link para a galeria, ou melhor, para a imagem!

    ResponderExcluir
  26. Haha, achei legal, bem viajante mas legal.
    Ficando apenas com o caso do rapaz no Canadá em 1941, afinal os outros tem um monte de matéria desmistificando pela net, os óculos são de aviador, e são bem rudimentares, não modelo esportivo moderno como citado, o rapaz que usa é do tipo "descolado" por isso está usando. Tem um casaco de lã bem da época, corte de cabelo da época, e a camiseta, não dá pra ver detalhes, mas é apenas uma camiseta com estampa, a estampa é apenas uma pintura no tecido, nada anormal e existia sim nos anos 40, normalmente como uniforme. Sobre a câmera com teleobjetiva... nem tem o que dizer, não é possível enxergar sequer que é uma câmera. O rapaz da frente dele parece estar com uma câmera mini VHS, mas isso nem é considerado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por mais descolado que alguém seja eu acho que seria muito estranho usar um óculos de aviador em um dia qualquer numa cidade não?!

      Excluir
  27. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  28. Esse assunto nunca chamou minha atenção pois sempre fui muito cético e racional, gostava de elementos concretos em minhas mãos. Até que algo aconteceu e estremeceu minhas bases. Já adianto, não viajei no tempo, tenho compromisso comigo mesmo de sempre fazer uso da verdade. Mas conheci uma pessoa que sim, por isso galera, acreditem, existem sim, pessoas do futuro no nosso meio, discretamente, mas existem. Algumas pessoas, inclusive, que fizeram fortunas e ainda estão vivas e na mídia.

    ResponderExcluir
  29. ea querra nuclea deflagrada em 2015 matando perto de 3 bilhoes de pessoas

    ResponderExcluir
  30. Excelente matéria e excelente conteúdo. Agora uma dúvida: Partindo do princípio que o presente é como uma avenida retilínea de mão única. O futuro seria como uma bifurcação desta avenida que leva a dois novos caminhos paralelos entre si, porém com um ponto original em comum entre eles. Segundo esta matéria, para cada nova decisão tomada no presente, uma nova bifurcação é criada. Por analogia e para rápido entendimento, o presente seria como um tronco de uma árvore e o futuro seria todos os galhos da mesma, o que significa que neste exato momento estamos vivendo "no galho" referente a uma decisão tomada a tempos atrás pelo "tronco". Mediante esta teoria, como retornar no tempo? Voltando ao exemplo da estrada, teríamos que ter uma tecnologia avançada ao ponto de fazer com que conseguíssemos ir na contra mão do fluxo temporal. Minha dúvida é: Segundo a teoria do efeito borboleta, a partir do momento que eu voltar no tempo e escolher não tomar o caminho que eu tomei no presente (que será ao mesmo tempo passado e presente) uma nova realidade paralela á que eu vivo neste exato momento será criada a partir da minha decisão tomada, o que acarretaria a uma drástica mudança em meu futuro.
    Todavia, o que aconteceria com a minha realidade antiga? Digo se eu optei por voltar no tempo e escolher seguir o caminho "X" e não o "Y" como eu faria para voltar para a minha realidade? E ela já estaria distorcida? Visto que eu já teria "provado" como é uma realidade paralela á que eu vivia...

    ResponderExcluir
  31. Esse blog é show , é melhor do planeta .

    ResponderExcluir

Os editores do blog Ab Origine têm profundo amor e respeito pelo livre pensamento e liberdade de expressão, porém respeitamos ainda mais o leitor que busca um ambiente de respeito às opiniões.

Por isso optamos por moderar os comentários, que serão excluídos nas seguintes condições:

• Piadinhas e infantilidades
• Palavrões e ofensas
• Desinformação

Todos os outros comentários serão publicados, independente da opinião do leitor.